James Nachtwey vence Prémio Princesa das Astúrias da Comunicação

20

 

O fotojornalista norte-americano James Nachtwey foi galardoado com o prémio Princesa das Astúrias da Comunicação e Humanidades 2016. Com décadas de trabalho a cobrir guerras, catástrofes naturais ou cenários que seguiram ataques terroristas, Nachtwey já venceu duas vezes o World Press Photo (em 1992 e 94) e conta cinco medalhas de ouro Robert Capa (nos anos 1991, 93, 98, 2001 e 2008).

“Fui uma testemunha e estas imagens são o meu testemunho. Os acontecimentos que registem não devem ser esquecidos e não podem ser repetidos”, é a frase do fotojornalista, o primeiro a vencer este galardão, que se lê ao entrar no seu site.

Nascido em Nova Iorque, em 1948, Nachtwey “é considerado um dos melhores repórteres de imagem de guerra das últimas décadas”, declarou Víctor García de la Concha, director do júri do prémio e igualmente director do Instituto Cervantes, citado pelo jornal El País.

“Com o seu testemunho ao longo de 40 anos, narrou todo o tipo de situações de emergência. Nachtwey deu a sua vida a esta profissão e não há conflito importante que não tenha coberto”, afirmou Emilio Morenatti, diretor de fotografia da Associated Press para Portugal e Espanha.

A candidatura do fotojornalista, que retratou a História na Bósnia, no Kosovo, na África do Sul, ou na Indonésia, foi entregue por Jordi Rodríguez Virgili, da Faculdade de Comunicação da Universidade de Navarra, e venceu numa lista que continha, entre outros, o nome do guionista Aaron Sorkin.

O prémio, que será entregue em Outubro, numa cerimónia que terá lugar no Teatro Campoamor de Oviedo, é composto por 50 mil euros e uma reprodução de uma escultura de Joan Miró. Este é um dos sete prémios concedidos pela Fundação Princesa das Astúrias.

O Prémio Princesa das Astúrias de Artes foi entregue na última semana à atriz espanhola Núria Espert, pela sua forte carreira em cinema e teatro.

in Diário de Notícias

Sem comentários.

Deixe um comentário